Representante em eSports da maior patrocinadora do esporte a motor do Brasil tem outra jornada positiva na F3, agora em Suzuka


Erick Goldner na frente do grid em Suzuka

Depois de conquistar um top5 na semana passada em seu primeiro contato com o F3, Erick Goldner, piloto Shell em automobilismo virtual foi além na noite da última quarta-feira (6 de maio). Em seu segundo treino classificatório com um carro de fórmula, colocou a Shell na posição de honra de um seleto grid de 33 competidores, muitos deles pilotos regulares de categorias como F2, IMSA, F4, Stock Car, Copa Truck, Porsche Cup, F-Renault etc.


Erick Goldner

Foi sua primeira pole como piloto Shell.

Goldner liderou a primeira volta em Suzuka, quando acabou ultrapassado por Dudu Barrichello. Na tentativa de buscar o concorrente, deu uma escapada de pista ainda com os pneus frios e caiu para sexto.

Após a terceira volta no seletivo circuito japonês, Goldner foi recuperando terreno. Mais adaptado ao carro, conquistou outras duas posições antes da bandeirada. O quarto lugar foi seu melhor resultado como piloto Shell e valeu a sétima posição no grid da corrida longa.

Na largada da segunda bateria, ele sustentou a posição administrando bem o espaço e evitando contatos. Mas antes mesmo do fim da primeira volta acabou tocado por trás pelo carro de outro competidor e foi forçado a abandonar.


Pole para a Shell

O que ele disse:


“A corrida foi bem movimentada e o início excelente. Com certeza eu não esperava fazer a pole pois achava que não tinha ritmo para isso. Foi uma ótima surpresa. Fiquei contente com meu desempenho no geral, mas percebi que tenho ainda muito a evoluir na administração do carro nas duas primeiras voltas da corrida, pois tem um comportamento bem diferente dos GTs. Fica muito instável no início, com a traseira muito solta. Sai de frente, sai de traseira, não aceita muito o uso da zebra…


Então no início estava muito preocupado em conseguir passar limpo e sobreviver porque sabia que seria difícil sustentar contra caras mais experientes nesse carro. A primeira corrida poderia inclusive ter sido um pouquinho melhor se eu não tivesse errado depois que o Dudu Barrichello me passou. Daí caí para sexto e levou um tempo para recuperar a confiança e ir esquentando de novo. A pista de Suzuka é bem difícil e as freadas do hairpin e da última chicane estavam me tirando um pouco da confiança no carro pois muitas vezes bloqueou rodas. Só mais para o finalzinho fui pegar o jeito.


Já na segunda corrida não tive muito o que fazer. Acho que o carro que me acertou nem conseguiria fazer a curva se não tivesse o meu na frente dele. E naquele lance acabou a corrida.


Mas no geral foi uma corrida boa. Não esperava mesmo a pole e mostra que temos potencial. Com um pouco mais de dedicação ao F3 acho que vamos conseguir corridas melhores ainda”

Erick Goldner